• Dr. Edson Salvador

INFECÇÕES URINÁRIAS DE REPETIÇÃO


PREVENÇÃO EM PRIMEIRO LUGAR


A Associação Americana de Urologia (www.auanet.org) considera como Infecções urinárias de repetição a ocorrência de 2 episódios em 6 meses ou 3 episódios em 1 ano. As população atingida por este problema são as mulheres e ela ocorre mais comumente em 2 fases da vida: na mulher jovem e na pós menopausa. A chamada "cistite"ou infecção urinaria baixa, queixa tão comum nos consultórios urológicos, apresenta os seguintes sintomas:

  • Ardência ao urinar

  • Ida diversas vezes ao banheiro para urinar

  • Gotejamento de urina

  • Sangramento na urina (visível ou não)

  • Uma vontade muito forte de urinar que não dá pra segurar

A "infecção urinária alta" ou Pielonefrite cursa com febre, dor lombar, inapetência, vômitos, calafrios. É um quadro mais grave que por vezes requer internação hospitalar para tratamento. Existem 2 tipos de exames de urina: O EAS (Elementos Normais e Sedimentação) - exame feito geralmente na emergência, com resultado imediato. Este exame, onde a urina é analisada no microscópio, revela a presença de hemácias (glóbulos vermelhos) e piócitos (glóbulos brancos). O teste do Nitrito (cujo resultado pode ser positivo ou negativo) também pode ser feito. O exame de EAS isoladamente não é suficiente para o diagnóstico de infecção. Ele apenas sugere. Quando associados aos sintomas e faixa etária da mulher, permitem concluir o diagnóstico de cistite. O exame que define a presença de infecção urinária é a Cultura de Urina (ou urinocultura). Este exame deve ser coletado na emergência, mas seu resultado leva até 5 dias para ficar pronto, uma vez que as bactérias da urina precisam se multiplicar para serem identificadas. Este exame permite identificar qual bactéria está presente na urina e a sensibilidade aos antibióticos. Mulheres que apresentam infecções urinarias de repetição devem ser investigadas por urologista, pois podem apresentar fatores precipitantes de infecção, tais como: mal formações do trato urinário, cálculos, anormalidades ginecológicas, anormalidades no funcionamento da bexiga, entre outros.


CLIQUE AQUI E LEIA SOBRE MEDIDAS PARA EVITAR INFECÇÕES DE REPETIÇÃO

16 visualizações