• Dr. Edson Salvador

FIMOSE


Fimose é a incapacidade de retração do prepúcio e exposição da glande do pênis. Todo menino recém nascido possui fimose e os pais não devem se desesperar nem forçar subitamente a exposição da glande. Durante o banho, faça gentilmente uma tração na pele aos poucos, sem machucar ou traumatizar a criança. Normalmente os casos de fimose se resolvem até os 2 ou 3 anos apenas com a manipulação feita pelos pais. Quando a fimose não se resolve após essa idade, indicamos o tratamento cirúrgico.



Ter excesso de pele sem ter fimose por vezes dificulta a higiene e a manipulação, podendo levar a episódios de infecção e inflamação no pênis, chamado “balanopostite”. Quando há episódios de repetição, indicamos também o tratamento cirúrgico.


Por vezes ocorrem aderências do prepúcio à glande. Normalmente essas aderências se liberam com o crescimento da criança. Pode ser usado medicação tópica para ajudar a liberação. Casos que não se resolvam pode haver necessidade de tratamento cirúrgico. Quando for indicado o uso de medicação tópica (pomada), certifique-se da aplicação de uma fina camada de pomada seguida de massagem e tração da pele.

O tratamento cirúrgico precoce da fimose (antes dos 2 ou 3 anos) é indicado quando o recém nascido possui alguma doença das vias urinárias – refluxo, obstrução, válvula de uretra e outras. Pode ser feito da maneira convencional (postectomia com pontos) ou através da colocação de um anel plástico. Este anel cicatriza a pele e cai sozinho após 2 ou 3 semanas. Esta técnica é por nós reservada a crianças menores de 3 anos.


Existe uma situação que é considerada uma urgência médica que é a “parafimose”: quando o prepúcio com fimose retrai e não retorna ao lugar, causando o estrangulamento da glande. Nesta situação é recomendado que se procure uma emergência pediátrica.



129 visualizações